FRASE DA SEMANA: [Quote of the Week:]
"Liturgias, antigas ou modernas, escritas ou não, são uma ferramenta humana para manter as engrenagens religiosas rodando, reproduzindo o costumeiro, ao invés de exercitar a fé na presença imediata e operação do Espírito."
Arthur Willis

Dons Ministeriais - Cargos Hierárquicos ou Funções Carismáticas? "O MINISTÉRIO QUÍNTUPLO"


MINISTÉRIO QUÍNTUPLO - Efesios 4:11-13
Pra quem não sabe o ministério quintuplo não é nenhum novo movimento, mas sim uma constatação feita pelo apostolo Paulo sobre as atividades da igreja de Cristo da época e não apenas isso, mas também a manifestação dos cinco ministérios de Jesus, pois ele foi o "primeiro apóstolo ou o apóstolo dos apóstolos (alguem enviado numa missão - significado da palavra)" veja Hebreus 3: 1, ele foi profeta, evangelista, pastor e mestre (habi) e esses cinco ministérios que havia em Jesus foram deixados para sua igreja. Paulo não criou isso, mas apenas constatou e resumiu as atividades da igreja em cinco ministérios plenamente atuante que difundiram o evangelho para o mundo.
Ele viu que na igreja muitos irmãos profetizavam, outros irmãos pastoreavam, outros ensinavam, outros evangelizavam e outros como Paulo chamados para apostolos.
Entenda que uma igreja local não tinha um pastor, um apostolo, um mestre, um profeta e um evangelista, mas sim cinco campos de trabalho onde muitos eram chamados, por isso a palavra diz: "Ele chamou uns para..." em outras versões "Ele designou alguns...".
Você pode até pensar "mas como funciona isso?" "Como fica se todos profetas profetizarem ao mesmo tempo?" É muito simples... direção do Espírito!
Sobre a direção do Espírito todas profecias convergiam para um fim comum, plenamente confirmado pelo Espírito.
Você pode perguntar quem mandava na igreja, tendo tantos pastores e apostolos? Obviamente Cristo, que é o cabeça e seu Espírito Santo, aqui o sentido de hierarquia não funciona, mas o de respeito, obediência e amor é claro. Não é atoa que o Senhor lavou os pés de seus discípulos e falou "Vocês também devem lavar os pés uns dos outros...(João 13:14)".
Hoje temos mais ministérios na igreja do que deveria, alguns inúteis, alguns são até motivo de disputa ferrenha, em contra partida o ministerio quíntuplo foi abafado e quase extinto por líderes que preferem centralizar todos ministérios e títulos só pra eles e seus "preferidos". Quantos Evangelistas estão sentados nos bancos? Quantos profetas estão calados? Quantos pastores sem oportunidades? Cadê os apóstolos que vão as cidades e nações? TODA A IGREJA TEM QUE ESTAR ATUANTE! CHEGA DE BANCO E DE QUATRO PAREDES!
Jesus é o Senhor da igreja, vamos então deixar o Senhor governá-la!
Deixem o Espírito Falar e ouçam seus comandos!
Meditem no versículo: ASSIM DIZ O SENHOR! "Esse povo se aproxima de mim com a boca e me honram com os lábios mas o seu coração está longe de mim. A ADORAÇÃO QUE ME PRESTAM É FEITA SÓ POR REGRAS ENSINADAS POR HOMENS" (ISAIAS 29:13)


EFÉSIOS 4:11
“E Ele mesmo deu uns para apóstolos, e outros para profetas, e outros para evangelistas, e outros para pastores e mestres.”
Apóstolo Paulo fez aqui uma constatação, o Senhor distribuiu dons à igreja separando pessoas para exercê-los, tais dons chamados hoje de “dons ministeriais”, são os mesmos dons que havia no ministério do próprio Senhor Jesus, todos são dons de governo por isso são vistos como “ministérios”. Cada membro da igreja precisa entender seu lugar no corpo de Cristo e exercer com zelo e afinco seu ministério, sua posição de governo no reino, pois o Senhor nos chamou para essa posição.
“... Àquele que nos ama e em seu sangue nos lavou dos nossos pecados, e nos fez reis e sacerdotes para Deus e seu Pai, a Ele, glória e poder para todo sempre. Amém.” (Ap.1: 5-6)

Referências dos cinco ministérios em Jesus
-Ele foi o primeiro “apóstolo” – (veja Hebreus 3: 1 / João 6: 16-17) O significado da palavra apóstolo de uma forma bem direta e simples segundo a língua grega é “mensageiro ou enviado”, uma pessoa que cumpre a missão de entregar, pronunciar, informar ou realizar algo em nome de alguém que a enviou.
-Foi profeta predito – (Dt. 18: 15 e 18), (At. 7: 37), (João 4: 16-19)Moisés profetizou a vinda de um profeta semelhante a ele.
-Evangelista - Os evangelhos relatam que o Senhor andou por todo canto de Israel pregando as boas novas do Reino.
-Pastor (João 10: 1-11) - Jesus é o bom pastor que dá a vida pelas ovelhas.
-Mestre (Mateus 5 : 17) – Jesus ensinava no monte, tinha habilidade para tal e o fazia com autoridade.

EFÉSIOS 4: 12-13
“... querendo o aperfeiçoamento dos santos, para a obra do ministério(sua função ministerial), para a edificação do corpo de cristo, até que todos cheguemos à unidade da fé (uma fé única) e ao conhecimento do filho de Deus, a varão perfeito (homem e mulher perfeito), à medida da estatura completa de Cristo (semelhança com Jesus)...”
O apóstolo Paulo afirma claramente aqui que estes cinco ministérios foram dados à igreja para equipá-la até que ela atinja:

1º Aperfeiçoamentos dos santos;
2º Edificação do corpo de Cristo;
3º A unidade da fé;
4º Conhecimento do filho de Deus;
5º A varão perfeito (Maturidade física e espiritual);
6º A semelhança com Jesus.

Existe algum lugar na terra uma igreja que já tenha atingido essa estatura? Nós seguramente teríamos ouvido falar se alguma igreja tivesse conseguido isso, portanto ainda precisamos dos cinco ministérios, como o apóstolo fala: até que todos cheguemos... Os cinco ministérios irão perdurar até que tenha alcançado seu objetivo, eles iniciaram a igreja e serão também os que vão encerá-la no final dos tempos da igreja na terra.


AS CARACTERÍSTICAS DO MINISTÉRIO QUÍNTUPLO
1. Todos eles são ministérios de liderança. Ou seja, eles são uma extensão do ministério de liderança de Cristo;
2. Todos os cinco ministérios são chamados para governar, guiar, ajuntar, reunir e guardar o povo de Deus;
3. Os cinco ministérios não são independentes, separados uns dos outros, mas são ministérios interdependentes vitalmente relacionados uns aos outros em Cristo. Eles são cinco partes do todo. Precisa-se dos cinco operando juntos para se ter a plenitude do ministério de Cristo no seu corpo (igreja), nenhum é inferior ou superior, mas todos são ungidos e apontados por Deus par um propósito específico.
4. Não há formula, método, técnica psicanalítica ou perfil de personalidade para determinar o chamado de cada um. O Senhor indicará através dos apóstolos e profetas ou de outro membro dos cinco ministérios, o chamado para cada um. Veja: Atos 13: 1
5. Os cinco ministérios não são cinco líderes “indivíduos” que mandam na igreja, são cinco áreas de atuação no corpo. De uma mesma congregação podem surgir mais de um apóstolo, vários profetas, mestres e pastores.

A liderança da igreja primitiva estava nas mãos primeiramente do Senhor Jesus, dos seus doze apóstolos, de profetas, de anciões (também conhecido como presbitério), ninguém resolvia nada sozinho, não existia “o manda chuva”, os doze sentavam e decidiam juntamente com o presbitério.

A poderosa mão de Deus!
Comparemos os cinco ministérios com uma mão onde cada dedo seria um ministério:
Polegar (Apostólico) – O polegar representa mais apropriadamente o ministério do apóstolo. Quando segura algo, o polegar vai para um lado do objeto e os dedos circulam o lado oposto. Esse movimento de vir em direções opostas é o que dá poder a mão. O polegar não está em oposição ou está sobre os outros dedos, mas está designado a completar a mão para sua plena função e poder. A mão de Deus do ministério quíntuplo tem sido grandemente restringida em seus poderosos propósitos, em algumas igrejas falta o polegar e o indicador.
Indicador (Profético) – O indicador é referido como aquele que aponta. O profeta tem o ministério de revelação e unção que aponta o caminho para o corpo de Cristo. O indicador também é o que está mais próximo ao polegar. O profeta e o apóstolo têm o relacionamento de trabalho mais próximo na mão ministerial do corpo de Cristo.
Médio (Evangelístico) – O dedo médio é o que mais se alonga na mão. É o ministério que mais se estende à evangelização do mundo. Está no meio de toda atividade da mão.
Anelar (Pastoral) – Esse é o dedo onde os anéis de noivado e casamentos são colocados, símbolo de compromisso e fidelidade. O pastor está casado com a igreja, cuidando da noiva de Cristo, pastoreando, visitando, ensinando, intercedendo pelas ovelhas, se doando, visando o ser humano em primeiro lugar e não as estruturas físicas, o pastor não faz nada sozinho ele precisa dos outros cinco ministérios funcionando para que ele tenha tempo e disponibilidade para focar no cuidado das ovelhas.
Mínimo (Ensino) – Embora o dedo mínimo seja o menor, ele provê equilíbrio à mão. O ensino da palavra de Deus, linha sobre linha, preceito sobre preceito, é desesperadamente necessário para a igreja. O mestre é um membro vital do ministério da mão de Cristo.


A FINALIDADE DE CADA MINISTÉRIO - 1 Coríntios 12 : 28
“E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente apóstolos, em segundo lugar profetas, em terceiros mestres...”

APÓSTOLOS
O significado da palavra apóstolo de uma forma bem direta e simples segundo a língua grega é “mensageiro ou enviado”, uma pessoa que cumpre a missão de entregar, pronunciar, informar ou realizar algo em nome de alguém que a enviou. Não um “título” era uma função. Esse é o primeiro ponto de vista para o significado do que é ser apóstolo. Jesus enviou setenta discípulos em uma missão evangelística e delegou sua autoridade a eles para que não só levassem as boas novas como fazer suas obras de libertação e cura, leia: (Lucas 10: 1-20) Esses setenta homens embora fossem descritos como apenas discípulos foram enviados como apóstolos e com autoridade tal. Cumpriram a “função” de apóstolos que nada mais é do que ser mensageiro do Senhor. Porém o Senhor já sabia que não poderia contar com todos, separando assim discípulos de entre os discípulos que ele escolheu a dedo para serem os seus mais chegados e cumpridores do seu “ide”. Quando o Senhor declarou “ser” ele mesmo o “pão da vida” e que precisaríamos comer da suar carne, muitos dos discípulos que ele enviou em Lucas 10, se escandalizaram com sua palavra e o deixaram, sobrando só os mais chegados que não quiseram deixá-lo. Veja:
“Eu sou o pão vivo que desce do céu se alguém comer desse pão viverá pra sempre e o pão que eu der... é a minha carne... que eu darei pela vida do mundo. Discutiam, pois, os judeus entre si, dizendo: como pode nos dar este, a sua a carne a comer? (para o judeu era proibido por Deus na lei de beber sangue de qualquer animal, quanto mais comer carne humana)” (João 6: 51-52 )
“Jesus, pois lhes disse: Na verdade, na verdade vos digo que, se não comerdes a carne do filho do homem e não beberdes o seu sangue, não terá vida em vós mesmos. Quem come a minha carne e bebe o meu sangue tem a vida eterna e eu o ressuscitarei no ultimo dia. Quem come da carne e bebe o meu sangue, permanece em mim e eu nele.” (João 6: 53-56)
“Muitos, pois, dos seus discípulos, ouvindo isso, disseram: Duro é este discurso, quem o pode ouvir?” (João 6: 60)
“Desde então, muitos dos seus discípulos tornaram para trás e já não andavam com ele.” (João 6: 66)
Jesus recebeu aqueles que o Pai lhes deu, escolheu aqueles a quem ele sabia que poderia contar para enviar a sua mensagem ao mundo e até para traí-lo. Até aqui vemos eles mais como servos do que líderes, mais como “chamados para uma missão” do que para serem homens com títulos e poder pra subjugar os outros.
Obs. O comer a sua carne e beber o seu sangue remetem ao sacrifício que ele iria fazer com sua própria vida na época da páscoa, semelhantemente ao sacrifício pedido pelo Pai a Moisés e ao povo hebreu no Egito (Êxodo 12), que cada família sacrificasse um cordeiro e o comece totalmente, momento esse onde foi instituída a páscoa. O Senhor sabiamente escolheu dois elementos para substituir e representar sua carne e seu sangue que são o pão e o vinho utilizados na santa ceia primeiramente aos seus apóstolos e passados á nós em memória dele.

Os apóstolos são enviados
“Ide, portanto, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo ensinando-os a guardar todas as coisas que vos tenho ordenado.” (Mateus 28: 19-20)
“Ide, por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo, quem porém não crer será condenado. Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome expelirão demônios, falarão em novas línguas, pegarão em serpentes e se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal, se impuserem as mãos sobre os enfermos, ele ficarão curados.” (Marcos 16: 15-18)
A primeira função apostólica é ir e pregar o evangelho. O apóstolo deve ir a cidades anunciar as boas novas do “Reino” fazendo discípulos, organizando uma congregação de membros com todos aqueles que crêem no evangelho de Cristo, ensinando apenas aquilo que o Senhor Jesus compartilhou nos evangelhos a começar pelos lares.
“E perseveravam na doutrina dos apóstolos e na comunhão, no partir do pão e nas orações.” (Atos 2: 42)
“Diariamente perseveravam unânimes no templo, partiam pão de casa em casa...” (Atos 2: 46)
Obs. Os judeus recém convertidos ao “Caminho” continuaram a freqüentar o templo do Senhor em Jerusalém até que ele foi totalmente destruído, mas um trabalho totalmente novo estava começando a ser gerado nos lares. Os templos, são destruídos, fecham as portas, os imóveis são devolvidos aos seus donos, mas a verdadeira igreja e o verdadeiro templo do Senhor começam dentro de casa e deve permanecer lá, pois nós hoje somos o templo do Espírito santo que é Deus.
O apóstolo que foi realmente comissionado pelo Senhor, tem a autoridade apostólica de Cristo, que deve ser reconhecida no mundo do espírito, por anjos, principados, potestades e toda espécie de demônios, assim também como enfermidades.
“Em cada alma havia temor e muitos prodígios e sinais eram feitos por intermédios dos apóstolos.” (Atos 2: 43)
“Estes sinais hão de acompanhar aqueles que crêem: em meu nome expelirão demônios, falarão em novas línguas, pegarão em serpentes e se alguma coisa mortífera beberem, não lhes fará mal, se impuserem as mãos sobre os enfermos, eles ficarão curados.” (Marcos 16: 15-18)
No início do trabalho o apóstolo tem mais o caráter de evangelista e também o de profeta, podendo exercer esses três ministérios simultaneamente a fim de organizar a congregação, logo ele através do direcionamento do Senhor, escolhe, separa e prepara aqueles que vão ser os profetas do ministério, evangelistas, pastores, mestres e também outros apóstolos. Os cincos ministérios funcionando é indispensável para o crescimento de todo corpo de Cristo.

As seis funções principais dos apóstolos
1. Levar o evangelho a lugares não alcançados (Rom. 15:20 NVI);
2. Implantar igrejas sobre o fundamento de Cristo (I Cor. 3:10-11 / Gal.1:6-10 / Apo. 2:15);
3. Apontar e treinar os primeiros líderes da igreja (Atos 14:21-23 / Tito 1:5);
4. Lidar com problemas específicos, falsas doutrinas ou pecados (I cor. 1: 1-16 / Atos 15);
5. Promover à unidade do corpo de Cristo, unidade da fé, a maturidade da igreja e semelhança da estatura de Cristo. (Ef. 4:1-16);
6. Demonstrar e compartilhar as dimensões sobrenaturais do Reino de Deus. (II Cor.12:12 / Atos 4:33 / Atos 8: 4-20 / II Tim. 1:6-7).

Obs. O ministério apostólico tem mais a ver com a liberação do poder de Deus, e em capacitar as pessoas com a autoridade e o poder, nos quais foram chamadas a andar, do que conseguir que as pessoas sigam você. O apóstolo também divide com os outros cinco ministérios, a direção e a liderança da congregação considerando os outros superiores a si mesmo.

Os doze apóstolos originais comissionados por Jesus
Também chamados de “Apóstolos do Cordeiro”, estão em uma classe de apóstolos única em que ninguém mais pode estar, porque não há mais apóstolos do cordeiro. No livro de apocalipse fala sobre os 12 apóstolos do cordeiro veja:
“E no muro da cidade tinha doze fundamentos e neles, os nomes dos doze apóstolos do cordeiro.” (Apo. 21: 14)
Há somente 12 apóstolos do cordeiro e só eles que estiveram com Jesus permanecerão nesta classe de apóstolos. Ninguém mais pode permanecer nela, porque os apóstolos do cordeiro foram enviados em um período e propósito específico.
Para qual finalidade foram comissionados? Para governar as igrejas? Não! Eles foram enviados para serem testemunhas oculares da vida, do ministério terreno e da ressurreição de Jesus. Veja os textos: (Atos 1: 15-22, 1 João 1: 1-2). Os apóstolos do cordeiro tinham quer ser homens que estiveram com Jesus durante seu ministério na terra e testemunharam de tudo o que ele fez e de sua ressurreição, estes são os motivos pelos quais os 12 discípulos estão em uma classe particular de apóstolos. Quem conhece bem a história, considera que o melhor substituto para o traidor Judas seria Paulo e não Matias, porém Paulo não foi testemunha ocular do ministério de Jesus e de sua ressurreição, não se enquadrando nos requisitos, porém Paulo se enquadra em outra classe de apóstolos que veremos a seguir.

Os 12 Apóstolos do Cordeiro
1. André;
2. Bartolomeu ou Natanael;
3. Tiago filho de Alfeu;
4. Tiago filho de Zebedeu;
5. João;
6. Judas Escariotes, que foi substituido por Matias;
7. Mateus;
8. Simão Pedro;
9. Felipe;
10. Simão Zelote;
11. Tadeu também chamado de Judas e Lebeu
12. Tomé.

Os outros apóstolos chamados para pregar o evangelho e servir a igreja
A outra classe de apóstolo está na categoria em que Paulo se encontrava. Uma característica desses apóstolos é que, juntamente com os apóstolos originais (apóstolos do cordeiro), lançaram doutrinas fundamentais do novo testamento. São apóstolos fundamentalistas ou apóstolos de fundação. Paulo estava nesta classe, pois escreveu grande parte do novo testamento, ele mesmo fala:
“Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, de que Jesus é a principal pedra de esquina.” (Ef. 2: 20)

Nota: Não há apóstolos e profetas de fundação, hoje, no mesmo nível que os da primeira igreja cristã. Todos os fundamentos da nossa fé já foram lançados nas escrituras, devemos segui-los. Os apóstolos atuais não podem criar novos fundamentos para a igreja de cristo, isso foi delegado aos apóstolos de fundação.

1. 1. Barnabé – O mentor de Paulo (Atos 13: 1-3);
3. Paulo / Saulo – De perseguidor da igreja a grande apóstolo (Atos 9: 15);
4. Tiago - Meio irmão de Jesus (Gal.1: 18 -19);
5. Silas – O profeta estabelecido, primeiro a ter um ministério duplo de profeta-apóstolo (Atos 15: 32);
6. Andrônico – Era notável entre os apóstolos (Rom. 16:7)
7. Epafrodito – Cooperador e companheiro de lutas de Paulo e Timóteo
8. (Fil. 2: 19-29 / fil. 4: 18);
9. Júnias - era notável entre os apóstolos – não se sabe se nome é masculino ou feminino (Rom. 16:7);
10. Timóteo – O apóstolo treinado e comissionado por Paulo (Fil. 2:19);
11. Apóstolo sem nome – (II Cor. 8:18b) (II Cor. 8:22b)

É óbvio que o Senhor continuou a levantar apóstolos para servirem a igreja, processo que foi interrompido quando o centro do cristianismo foi estabelecido em Roma, onde também foram acrescentadas muitas práticas pagãs ao cristianismo, e a partir daí, a igreja entrou na chamada “idade das trevas”, onde ela perseguiu a própria igreja, onde a ela matou, torturou, conquistou em nome de Cristo, passou a ditar as regras também no estado, entrando numa apostasia total.
Quando houve a reforma protestante de Martin Lutero, a igreja voltou aos preceitos do evangelho, mas deixando de lado dois dos cinco ministérios que havia em Jesus, o apostólico e o profético, funcionando apenas com o pastoral, evangelístico e o de ensino.
“O Senhor tem prometido que a igreja gloriosa que iniciou o seu ministério aqui na terra a mais de 2000 anos, também será a igreja que irá encerrar todas as obras de Deus aqui na terra no final dos tempos.” Os cincos ministérios devem estar totalmente atuantes nesses últimos tempos da igreja na terra.


PROFETAS
Os profetas do antigo testamento eram também chamados de videntes, um termo não usado pela igreja. Na antiga aliança os profetas davam orientação às pessoas que buscavam uma palavra do Senhor.

Obs. Buscar direção e orientação por meio do profeta era uma parte importante do ministério profético sob a antiga aliança e que foi totalmente banida na nova aliança.

Sob os termos da nova aliança todos nós recebemos o Espírito Santo e podemos experimentar um relacionamento íntimo com o Senhor.Orientação é resultado de um relacionamento correto com Deus.Nenhum profeta do novo testamento jamais foi usado para profetizar mensagens que guiavam ou governavam as pessoas na vontade de Deus. Em vez disso, eles eram usados para dar confirmação às pessoas.

Obs. Os Profetas cristãos não dizem às pessoas o que elas devem fazer, eles apenas confirmam o que Deus está dizendo. Buscar num profeta cristão direção e orientação é violar a nova aliança, que nos oferece acesso direto e o privilégio de nos aproximar de Deus por meio de Cristo, pelo Espírito Santo.

Os profetas cristãos
Antes do tempo de Jesus, os profetas eram temidos. Eles eram indivíduos excêntricos, autoritários e assustadores, que entregavam mensagens grandiosas, muitas das vezes com um senso de urgência e de juízo iminente que parecia pairar sobre as cabeças das pessoas. Eles eram estranhamente independentes, difíceis de conviver e muitas vezes extremamente impopulares. Não se sabe se a falta de aceitação se devia à aparência deles, personalidade ou ao conteúdo das mensagens (ou a combinação de tudo isso).
O profeta cristão por outro lado, deve exibir os frutos do Espírito, com toda graça e humildade. Devem ser membros responsáveis do corpo de Cristo e viver sob a autoridade enquanto agem como membros de uma equipe e não como ministério individual.
No antigo testamento, na maior parte do tempo, o ministério profético era uma benção que ao longo dos séculos revelava o coração de Deus aos homens. No novo testamento o ministério profético é um ministério de edificação, trabalhando com os apóstolos para lançar o fundamento e estabelecer a igreja.
Obs. Os profetas cristãos não devem ter a função ou a personalidade dos profetas do antigo testamento.
O último profeta da antiga aliança, João batista, submeteu sua vida e ministério aos pés de Jesus, que é o primeiro de uma nova linhagem profética no novo testamento.
Leia:
- 2 Reis 1: 1-15 (Elias manda descer fogo dos céus para consumir 50 soldados e seu comandante);
-Lucas 9: 51-56 (Os discípulos pedem fogo do céu, mas Jesus os repreende).

Vemos aqui a clara diferença de posicionamento entre um profeta da antiga aliança, e o Senhor Jesus o primeiro de uma nova linhagem profética.

O propósito do profeta cristão
Ironicamente, o propósito de um profeta do novo testamento não é primeiramente profetizar!
· Primeiro, ele deve treinar as pessoas para ouvir ao Senhor por si mesmas;
· Segundo, é ensinar os crentes como descobrir a vontade de Deus e viver nela;
· Terceiro, é instruir e treinar as pessoas no dom de profecia, ajudando as igrejas a estabelecer o ambiente e os procedimentos corretos em torno desse ministério.
· E finalmente trazer a palavra do Senhor por meio da pregação inspirada ou pelos pronunciamentos proféticos sobrenaturais.
O apóstolo Paulo fala que a profecia serve para edificação, exortação e consolação 1Cor.14: 3.

Características do ministério profético na igreja
1. O profeta do novo testamento é chamado para manter um relacionamento funcional com o ministério apostólico. Esta interação proporciona o ambiente e o equilíbrio necessário para os dois ministérios.
2. O profeta do novo testamento funciona como um agente catalisador dentro da igreja, eles fazem as coisas acontecerem. Eles fazem a igreja entender e aceitar os planos e propósitos do Senhor, pois o Senhor não faz nada sem antes revelar aos seus servos os profetas (Amós 3: 7).
3. Os profetas também são ativos em termos de preparação. Eles preparam as pessoas para o Senhor com em Isaías 40: 3 e Lucas 1: 17. Além disso, eles trabalham com os outros quatro ministérios para edificar e preparar os santos para segunda vinda de Cristo. Parte dessa preparação consiste em receber e compartilhar revelações especificar sobre a terra.
4. Os verdadeiros profetas promovem o ministério e têm paixão para treinar e liberar outros para o ministério ao invés de concentrarem todo foco em si e serem o centro das atenções.
5. Os profetas também têm a responsabilidade de declarar as mensagens do Senhor e fazer pronunciamentos. É comunicar o coração de Deus para a época presente. Este pronunciamento pode ser por meio de pregação, ensino, mensagens proféticas, visão, interpretação e atos simbólicos (atos proféticos).
6. O Profeta Cristão serve para exortar, edificar, confortar e admoestar, trazendo advertências ou repreensões.
7. Outro aspecto do papel profético é a chamada “profecia de predição”, onde o profeta comunica eventos futuros conforme se delineiam no coração e na mente de Deus. Ela é usada para dar direção à igreja.
8. O profeta está sempre trabalhando para ir adiante, em novas revelações e buscando desafios, batalhas para vencer e obstáculos para superar.

“Judas e Silas, que eram profetas, encorajaram e fortaleceram os irmãos com muitas palavras.” (Atos 15: 32)
“Na igreja de Antioquia havia profetas e mestres: Barnabé, Simeão chamado Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, que fora criado com Herodes, o tetrarca, e Saulo. Enquanto adoravam e jejuavam, disse o Espírito Santo: “Separem Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado”. Assim depois de Jejuar e orar impuseram-lhes as mãos e os enviaram. ”(Atos 13: 1-3)
Obs. Eles antes de enviar Barnabé e Saulo (Paulo) como apóstolos, procuraram o direcionamento do Espírito através da adoração, da oração e do jejum, ferramentas importantíssimas para serem usadas pela igreja, para tomar decisões ou conhecer a vontade do Pai.

Nota: Os ministérios a seguir já são bem conhecidos da igreja, com eles a igreja chegou até nós e aprendemos com eles sobre o evangelho de Cristo, por isso de forma alguma podem ser colocados de lado nesse momento em que o Pai está restabelecendo a igreja gloriosa novamente em ação na terra através dos cinco ministérios. Mas para um bom funcionamento do corpo é preciso que cada ministério entenda sua função e se reajuste ao corpo nesse contexto em que a igreja primitiva funcionava. A autoridade ministerial nas igrejas que funcionam novamente com base nos fundamentos dos apóstolos e profetas , através dos cinco ministérios deve ser igualmente dividida, entendida e respeitada, por todos. A pergunta que muitos nos fazem é, quem vai mandar na igreja local? A resposta é simples o Senhor da igreja! Ele não escolheu entre os doze quem iria mandar depois que ele partice para o Pai, essa missão foi delegada a todos os doze de cuidar da igreja, concílios eram feitos para que todos decidissem juntos. Eles estavam fundando algo totalmente novo, não tinham a plena noção do que seria a igreja realmente, precisavam de orientação do que fazer e é onde entra o Espírito Santo.

“Mas quando o Espírito Santo da verdade vier, ele os guiará a toda a verdade. Não falará de sí mesmo, falará apenas o que ouvir e lhes anunciará o que está por vir. Ele me glorificará porque receberá do que é meu e o tornará conhecido a vocês.” (João16: 13-14)

O Espírito Santo convergirá todos a uma só fé, trará luz as decisões, usará os apóstolos e os profetas, tudo será decidido de comum acordo e todos terão a testificação do Espírito. Para isso todos nós que fazemos parte dos ministérios, devemos nos submeter ao Espírito Santo, obedecer seus comandos, considerar o que foi escrito nas escrituras e considerar o outro superior a nós mesmos. Uma vida de humilhação constante é fundamental, independente do seu ministério. Se você acha que ser apóstolo é ser maior dos que os outros, o Senhor vai fazer com você como fez com Saul, vai ungir e colocar outro no seu lugar. Lembre-se, o Senhor não está preocupado com títulos, mas com a sua função no corpo, Ele não procura por servos perfeitos, mas por filhos que estão dispostos a obedecer.


EVANGELISTAS
São homens e mulheres que fazem parte do corpo, mas que tem suas vidas e sua mente voltada para fora da igreja local. Seu único interesse é acrescentar de forma estratégica, mais almas ao corpo de Cristo que precisa terminar de ser completo. São os que vão em hospitais, presídios, praças, favelas, sua vida é totalmente voltada para o campo missionário. Vejamos a história de Felipe, o evangelista:

Creio que existiam dois Felipes, um era apóstolo escolhido pelo Senhor, outro foi um dos primeiros sete diáconos da igreja. Uma das razões da instituição dos diáconos era que os apóstolos queriam se dedicar ao ministério da palavra (Atos 6: 1-7 / Atos 21: 7-8). Em outra passagem no capítulo oito de atos sobre uma forte perseguição, todos os discípulos, exceto os apóstolos, foram dispersos pelas regiões da Judéia e Samaria, e Felipe até então diácono, foi um desses dispersos, porém o apóstolo Felipe permaneceu junto com os outros apóstolos em Jerusalém.

“Os que haviam sido dispersos pregavam a palavra por onde quer que fossem.” (Atos 8: 4) Essa é uma das principais características de um evangelista.

“Indo Felipe para uma cidade de Samaria, ali lhes anunciava o Cristo. ” (Atos 8: 5)

“Quando a multidão ouviu Felipe e viu os sinais miraculosos que ele realizava, deu unânime atenção ao que ele dizia. Os espíritos imundos saiam de muitos, dando gritos e muitos paralíticos e mancos foram curados. Assim, houve grande alegria naquela cidade.” (Atos 8: 6-8)

“No entanto, quando Felipe lhes pregou as boas novas do Reino de Deus e do nome de Jesus Cristo, creram nele e foram batizados, tanto homens como mulheres.” (Atos 8: 12)

“Felipe prém apareceu em Azoto e indo para Cezaréia pregava o evangelho em todas as cidades pelas quais passava.” (Atos 8: 40)

Leia também a passagem em que a bíblia fala do encontro de Felipe e o Eunuco (Atos 8: 26-40)

As características de um evangelista
Com base no pequeno relato do ministério de Felipe, podemos então afirmar que:
1.Ele deve aproveitar toda e qualquer oportunidade de compartilhar do evangelho;
2.O evangelista deve operar com sinais e prodígios;
3.Ele está apto a batizar todos aqueles que crêm em Jesus e na mensagem do evangelho, tendo urgência em fazer o batismo;
4.Ele prepara o caminho para os apóstolos (Atos 8: 14);
5.Ele deve obedecer os comandos do Espírito;


PASTORES
Durante anos os pastores assumiram as funções ministeriais sozinhos, exercendo atividades as quais não foram chamados e impedindo que os outros ministérios de governo fossem manifestos entre a igreja, com medo de perder o poder e o controle. Tantas atividades fizeram perder o verdadeiro foco do seu chamado que é cuidar das vidas de suas ovelhas. Já dizia o ditado que o “pastor tem o cheiro de suas ovelhas”. Pastorear não é uma missão fácil, tanta carga deve ser dividida com outros pastores e com os outros quatro ministérios, não par que os outros ministérios apascentem, mas para que cada um assuma o seu posto, tirando e aliviando a responsabilidade dele de sobre os outros ministérios, assim como dividir as decisões.

Muitos tem se tornado pastores pelos motivos errados, muitos estão nessa, pelo glamour e pala pompa do título, outros pela condição financeira que possam vir a ter, outros pela autoridade e controle que possam ter sobre as pessoas, outros começam até bem, mas atarefados em ser o pastor, mestre e profeta da igreja, se esquecem de ter um relacionamento íntimo com as ovelhas, outros “selecionam a dedo as ovelhas que querem cuidar ($$)”. Mas e o cuidar das vidas? Eles acabam delegando a outros, afastando-se das ovelhas assumindo altas posições em convenções e associações de pastores e igrejas, querendo ter um padrão de vida que eles alegam ser promessa de Deus mas que Jesus nunca prometeu.


A principal função de um pastor da nova aliança, que foi chamado para esse ministério, é cuidar do corpo de Cristo, proporcionando ao corpo toda a atenção necessária, ouvindo, intercedendo, aconselhando, se colocando na brecha pela causa deles. Ele deve estar disponível, estar apto a exortar, ensinar e a ouvir. As ovelhas não precisam de grande preletores, pregadores eloqüentes, doutores em teologia, movimentadores de massas, as ovelhas precisam de quem as apascente, não de longe, mas de perto, de quem as ouça, de quem esteja junto, quando precisarem. Por isso numa igreja local precisamos de muitos pastores.
Os pastores devem juntamente com os outros quatro ministérios ajudar a edificar a vida e o caráter, de cada crente para que ele tenha uma só fé, chegue a ser varão perfeito, ao conhecimento do filho de Deus e a sua semelhança.


MESTRES
Todos os ministérios têm a mesma importância, porém no que diz respeito a funcionalidade do corpo, o apóstolo Paulo fala que primeiro Deus estabeleceu apóstolos sobre sua igreja, depois profetas e em terceiro mestres... (1 cor.12: 28) Esses três pilares decidiam muitas coisas no início veja: Atos 13: 1-3

Na igreja de Antioquia havia profetas e mestres: Barnabé, Simeão chamado Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, que fora criado com Herodes, o tetrarca, e Saulo. Enquanto adoravam e jejuavam, disse o Espírito Santo: “Separem Barnabé e Saulo para a obra a que os tenho chamado”. Assim depois de Jejuar e orar impuseram-lhes as mãos e os enviaram. ” (Atos 13: 1-3)

Paulo já era mestre, mas estava iniciando seu apostolado neste momento. Sobre direcionamento do Espírito, profetas e mestres os separaram para essa obra. Mas do que ensinar os mestres tem uma função decisiva no corpo, ele são o pilar de equilíbrio na igreja, são eles que discipulam os crentes, eles estão aptos a ensinar, a ser mentores como barnabé foi de Paulo e Paulo foi de muitos outros, a discernir nas escrituras as profecias pronunciadas pelos profetas, homens sábios, cheios do Espírito santo, sua preocupação no corpo é proporcionar todo um ambiente de aprendizado na palavra, preparando os crentes para terem uma só fé, a uma maturidade cristã, levar através das escrituras o conhecimento sobre o filho de Deus, para que todos cheguemos a medida da estatura de Cristo.


CONCLUSÃO
O ministério quíntuplo é uma extensão do ministério de Jesus, quando aplicados corretamente na igreja, ou seja, quando cada ministério alcança sua plenitude, e está em pleno funcionamento, podemos desfrutar daquilo que sempre sonhamos, viver os tempos da igreja gloriosa de atos, porém o Pai tem prometido uma medida ainda mais abundante para os últimos dias da igreja na terra, uma igreja ainda mais gloriosa. Para isso é preciso que a igreja que começou as obras de Jesus, com todos dons e ministérios, volte e cumpra seu papel inacabado.
Uma igreja que não tem os cinco ministérios funcionando plenamente não pode chegar a ser tudo aquilo que o Senhor planejou para ela.
Umas das grandes estratégias do diabo foi colocar em nossas mentes que não existe igreja perfeita. Isto é uma das mentiras mais cabeludas, que acabamos engolindo e aceitando. A igreja perfeita existe sim! Em Cristo ela pode ser perfeita, e o que é ser uma igreja perfeita? É cumprir o papel que o Senhor destinou a ela.



Biografia:
"Apóstolos Profetas e os moveres vindouros de Deus" - Dr. Bill Harmon
"O ministério apostólico" - Rick Joyner
"Os dons do ministério" - Kenneth Hagin

Um comentário:

} }; var hasMore = function() { return !!cursor; }; var getMeta = function(key, comment) { if ('iswriter' == key) { var matches = !!comment.author && comment.author.name == config.authorName && comment.author.profileUrl == config.authorUrl; return matches ? 'true' : ''; } else if ('deletelink' == key) { return config.baseUri + '/delete-comment.g?blogID=' + config.blogId + '&postID=' + comment.id; } else if ('deleteclass' == key) { return comment.deleteclass; } return ''; }; var replybox = null; var replyUrlParts = null; var replyParent = undefined; var onReply = function(commentId, domId) { if (replybox == null) { // lazily cache replybox, and adjust to suit this style: replybox = document.getElementById('comment-editor'); if (replybox != null) { replybox.height = '250px'; replybox.style.display = 'block'; replyUrlParts = replybox.src.split('#'); } } if (replybox && (commentId !== replyParent)) { document.getElementById(domId).insertBefore(replybox, null); replybox.src = replyUrlParts[0] + (commentId ? '&parentID=' + commentId : '') + '#' + replyUrlParts[1]; replyParent = commentId; } }; var hash = (window.location.hash || '#').substring(1); var startThread, targetComment; if (/^comment-form_/.test(hash)) { startThread = hash.substring('comment-form_'.length); } else if (/^c[0-9]+$/.test(hash)) { targetComment = hash.substring(1); } // Configure commenting API: var configJso = { 'maxDepth': config.maxThreadDepth }; var provider = { 'id': config.postId, 'data': items, 'loadNext': paginator, 'hasMore': hasMore, 'getMeta': getMeta, 'onReply': onReply, 'rendered': true, 'initComment': targetComment, 'initReplyThread': startThread, 'config': configJso, 'messages': msgs }; var render = function() { if (window.goog && window.goog.comments) { var holder = document.getElementById('comment-holder'); window.goog.comments.render(holder, provider); } }; // render now, or queue to render when library loads: if (window.goog && window.goog.comments) { render(); } else { window.goog = window.goog || {}; window.goog.comments = window.goog.comments || {}; window.goog.comments.loadQueue = window.goog.comments.loadQueue || []; window.goog.comments.loadQueue.push(render); } })(); // ]]>
  1. Desculpe-me irmão mas em nenhum dos trechos acima indicados encontrei afirmação de que essas pessoas eram consideradas apóstolos. Somente os doze + Matias(que conviveram com Jesus) e Paulo. Mais a ninguém foi concedido ser apóstolo. Será que você não está influenciado por alguém que interpreta que apóstolo quer dizer enviado e sugere que ele é um apóstolo, por isso é o único que tem poder sobre a igreja, o único que pode estabelecer presbíteros e que interpreta a Bíblia, sendo que os demais irmãos apenas repetem suas palavras que houvem em suas conferências e lêem em seus intermináveis livros?
    Fique na paz do nosso Senhor!

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...