FRASE DA SEMANA: [Quote of the Week:]
"Liturgias, antigas ou modernas, escritas ou não, são uma ferramenta humana para manter as engrenagens religiosas rodando, reproduzindo o costumeiro, ao invés de exercitar a fé na presença imediata e operação do Espírito."
Arthur Willis

O Sectarismo Denominacional e a Base Local da Igreja

Hoje em dia temos uma plétora de congregações cristãs que reclamam, todas elas, serem igrejas locais. Esses grupos incluem denominações, igrejas caseiras, grupos de células, assembléias não denominacionais, missões evangélicas, ministérios especiais, igrejas basílicas, etc. No entanto, podem todos esses grupos cristãos justificar sua pretensão de serem expressões locais do Corpo de Cristo?


A enfática pergunta a ser formulada é: O que justifica a existência de uma assembléia local? A resposta a esta questão depende de como nós cristãos expressamos na prática nossa unidade no Cristo. Como veremos mais adiante, a base bíblica para a existência de uma assembléia local tem a ver com geografia. E a única justificativa bíblica para 

dividir cristãos em diferentes igrejas, é a distância geográfica.
                                                 


COMO DEFINIR A IGREJA LOCAL?
Embora o termo ‘igreja local’ não apareça no Novo Testamento, o conceito da mesma é abundantemente presente. A Bíblia ensina claramente que o Corpo de Cristo, sendo um, expressa-se em muitos e diferentes lugares. Estas expressões terrenais desse Corpo único são chamadas de ‘igrejas’ (plural) e aparecem abundantemente ao longo das páginas do texto neotestamentário. Dizemos que estas igrejas são ‘locais’ porque estão presentes em lugares geográficos definidos especificamente, ou em forma mais sucinta, em ‘localidades’.
Ao tentar definir os limites de uma igreja local, vejamos as palavras de nosso Salvador em Mateus 18:15-20: Se o teu irmão peca contra você, vá e, a sós com ele, mostre-lhe o erro. Se ele o ouvir, você ganhou seu irmão. Mas se ele não o ouvir, leve consigo mais um ou dois outros, de modo que qualquer acusação seja confirmada pelo testemunho de duas ou três testemunha. Se ele se recusar a ouví-los, conte à IGREJA; e se ele se recusar a ouvir também a IGREJA, trate-o como pagão ou publicano. Digo-lhes a verdade: Tudo o que vocês ligarem na terra terá sido ligado no céu. Também lhes digo que se dois de vocês concordare na terra em qualquer assunto sobre o qual pedirem, isso lhes será feito por meu Pai que está nos céus. POIS ONDE SE REUNIREM DOIS OU TRÊS EM MEU NOME, ALI EU ESTOU NO MEIO DELES.

Aqui temos a definição essencial da igreja local —uma definição que está pressuposta ao longo do Novo Testamento. (A igreja local está inconfundivelmente visível neste texto, porque a maior parte dos agravos entre os crentes ocorrem na comunidade local; ademais, a igreja universal, celestial, é demasiado grande para ser consultada quando ocorrem tais agravos.)

Ao considerar cuidadosamente este texto, descobrimos que a assembléia local tem três facetas:
pluralidade de pessoas ("duas ou três"), submissão à liderança do Cristo como Cabeça ("em meu nome"), e uma reunião corporativa num lugar específico ("onde se reunirem dois ou três").
Se num determinado lugar e momento os crentes se congregam sob a liderança do Cristo como Cabeça, o Senhor está presente no meio deles. Os mesmos representam Jesus Cristo numa expressão local. Esta conclusão engrena perfeitamente com a descrição das igrejas registradas no livro de Atos. Lucas nos diz que os apóstolos viajavam de região em região divulgando a mensagem do evangelho. Quando numa determinada localidade o povo recebia a mensagem, começavam a congregar-se em seguida. Desse momento em adiante eram coletivamente chamados de "a igreja de" tal e qual lugar (Atos 8:1; 11:22; 13:1; etc.).


SIGNIFICADO DE LOCALIDADE
Embora Mateus 18 aborde a definição dos limites da igreja local, não o faz plenamente. Ainda fica a interrogação sobre o que constitui uma localidade. Mas a Bíblia nos dá a resposta. Conspicuamente, onde quer que se use a palavra ‘igreja’ em todo o Novo Testamento (exceto nas passagens que se referem à igreja universal, celestial, ou à igreja caseira de alguém), ela é identificada pela cidade . Por contraste, onde quer que se use a palavra ‘igrejas’ no Novo Testamento, refere-se às variadas igrejas que existem numa província ou região . Considere-se a lista seguinte:

A igreja (na cidade) As igrejas (da região)
A igreja em Antioquia (de Pisídia) – Atos 13:1 As igrejas da Ásia – 1 Coríntios 16:19.
A igreja em Antioquía (de Síria) – 11:26 As igrejas da Cilícia – Atos 15:41.
A igreja em Cesaréa – Atos 18:22 As igrejas dos gentis – Romanos 16:4.
A igreja em Cencréia – Romanos 16:1 As igrejas da Galácia – 1 Coríntios 14:33.
A igreja em Corinto – 1 Coríntios 1:2 As igrejas da Galiléia – Atos 9:31.
A igreja em Éfeso – Apocalipse 2:1 As igrejas da Judéia – Gálatas 1:22.
A igreja em Jerusalém – Atos 8:1 As igrejas da Macedônia – 2 Coríntios 8:1.
A igreja em Laodicea – Apocalipse 3:14 As igrejas de Samaria – Atos 9:31.
A igreja em Pérgamo – Apocalipse 2:12 As igrejas da Síria – Atos 15:41.
A igreja em Filadélfia – Apocalipse 3:7.
A igreja em Esmirna – Apocalipse 2:8.
A igreja em Sardis – Apocalipse 3:1.
A igreja em Tessalônica – 1 Tessalonicenses 1:1.
A igreja em Tiatira – Apocalipse 2:18

Segundo a Bíblia, os limites da igreja local são os da cidade. Esta é a razão pela qual Paulo mandou a Tito para estabelecer anciãos em cada cidade (Tito 1:5), enquanto lemos que os apóstolos constituíram anciãos em cada igreja (Atos 14:23). Ademais, sabemos do livro do Apocalipse que o Senhor Jesus vê tão somente uma igreja em cada cidade (Apocalipse 1:11-13, 20). Depois, na declaração da Bíblia se afirma que durante o tempo neotestamentário tinha uma igreja por cidade.


EXPRESSÃO PRÁTICA DO CORPO DE CRISTO
Neste ponto, indaguemos por que o Senhor escolheu que a cidade formasse os limites da assembléia local. Foi apenas uma disposição cultural passageira? Foi uma coincidência sem propósito algum, que ao presente carece de significado prático? Nem uma nem outra. Os limites da localidade estão diretamente vinculados com a expressão prática da unidade do Corpo de Cristo.
Em nossos dias muitos crentes se dividiram em ‘igrejas’ separadas, baseados em diferentes e diversas questões que consideram como bases legítimas para a segregação cristã. Mas quando numa determinada localidade existe um número interminável de ‘igrejas’ separadas dentro de seus limites, a clara mensagem enviado ao mundo é que Jesus Cristo está dividido (apesar do fato dos que se congregam nessas igrejas professem que são um com todos os demais cristãos).
Por contraste, suponhamos que haja um grupo de crentes que recusam dividir-se uns dos outros, exceto pelo fato de que viverem demasiado longe uns dos outros, de forma que lhes seja impossível congregar-se. Esses crentes estão tão dedicados mutuamente em amor, que recusam separar-se por causa de teologia, lideranças espirituais, estilo de adoração, ministério especial, raça, condição socio-econômica, etc. O singelo testemunho enviado ao mundo por meio dessa assembléia, é que o Corpo de Cristo é verdadeiramente um. Tal ilustração demonstra como o modelo bíblico de uma igreja por localidade salvaguarda a unidade do Corpo de Cristo e impede o sectarismo. Quando os crentes se dividem por razões que não sejam a localização, então nós, junto com Paulo, vemo-nos forçados a fazer a inquietante pergunta: "Está Cristo dividido?" (1ª Coríntios 1:13).

Em sua clássica obra baseada na assembléia local, Watchman Nee faz a observação seguinte:
Qualquer divisão dos filhos de Deus que não seja geográfica, implica não apenas numa divisão de esfera, mas também numa divisão de natureza. A divisão local é a única divisão que não toca a vida da igreja .. O que nos separa do mundo é nosso estar no Ungido, e é nosso estar numa determinada localidade o que nos separa dos outros crentes. Apenas quando residimos num lugar diferente do deles é que fazemos parte de uma igreja diferente. A única razão pela qual não pertenço à mesma igreja que os outros crentes, é porque não vivo no mesmo lugar que eles vivem (The Normal Christian Church Life /A vida eclesial cristã normal).





Título Original: A Base Local da Igreja
Autor: Frank A. Viola                                                                                    

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...